Imprimir  Voltar  Home 


  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN


Data: 04/01/2018

Após negociação, reitoria da Uepb começa a liberar retroativo das progressões 

Os professores  e técnico-administrativos da Universidade Estadual da Paraíba (Uepb) já começaram a receber, no final de 2017, o pagamento do retroativo referente às progressões de carreira no período de 2015 a 2017. O pagamento foi confirmado, na última semana de dezembro, para a direção da Associação dos Docentes da Uepb (Aduepb Seção Sindical do ANDES-SN) pela reitoria da instituição. A entidade vinha negociando o pagamento com os gestores da universidade e já possui uma ação na justiça com o mesmo objetivo.

O presidente da Aduepb SSind., Nelson Júnior, explica que o sindicato ainda não dispõe de detalhes sobre os critérios utilizados pela reitoria para realizar a liberação do retroativo e já solicitou informações da universidade para poder fazer o acompanhamento do processo. “Essa é a mais uma vitória da luta realizada pela Aduepb SSind. e pelo Sintespb/Uepb, no ano de 2017”, ressaltou.

A liberação das progressões e o pagamento do retroativo estavam na pauta da greve de 2017 dos docentes, pois foram congelados, por tempo indeterminado, por meio da lei estadual 16.660/2017.

Mobilização
Os docentes da Uepb estiveram em greve entre os meses de abril e junho do ano passado, reivindicando o cumprimento da Lei de Autonomia Financeira da Uepb; a garantia dos valores do duodécimo da Uepb, de acordo com o orçamento construído e aprovado pelo Consuni, no valor de $ 410 milhões; a reposição de 23,61%,  o descongelamento do PCCR, concurso público para docentes e contratação imediata dos concursados, a consolidação/construção de infraestrutura adequada aos campi; controle social do orçamento da universidade; cumprimento do acordo da Greve 2015; e ampliação e melhorias na Política de Assistência Estudantil.

* Com informações e foto da Aduepb SSind.


Fonte: ANDES-SN


0
|
0
| Denunciar

0 comentários | 384 visualizações | 0 avaliações

Comentar esta notícia