Imprimir  Voltar  Home 


  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN


Data: 11/04/2018

Docentes da Unimontes em greve ocupam reitoria após salários cortados

Em greve desde o dia 30 de janeiro, os docentes da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), em Minas Gerais, ocuparam a reitoria da instituição na terça-feira (10) em resposta aos salários cortados. A paralisação é consequência do descumprimento do acordo que encerrou, em 2016, uma greve de quatro meses dos docentes.

A ocupação foi iniciada na tarde de terça, após uma reunião com o governo do estado e a reitoria sobre o plano de carreira dos docentes e também sobre a ameaça de corte do ponto dos servidores grevistas.

“A reitoria tinha aceitado não cortar o ponto e ao final da reunião ficou acordado, e registrado em ata, que a reitoria chamaria a representação sindical aqui no campus para definir sobre o corte de ponto. Quando vimos os contracheques zerados, percebemos que eles já haviam efetivado o corte enquanto negociávamos. E em resposta, ocupamos a reitoria”, disse Afrânio Farias de Melo, presidente da Associação dos Docentes da Unimontes (Adunimontes – Seção Sindical do ANDES-SN).

Esta não foi a primeira vez que a reitoria prometeu não cortar o ponto dos docentes em greve. Na última rodada de negociações realizada no dia 3 de abril, o subsecretário Márcio Portes se posicionou contra a medida. Depois de ouvir a posição do governo, a reitoria voltou atrás e concordou em não efetivar o corte de ponto dos professores.

“O comando de greve entende que o posicionamento da reitoria é uma atitude rasteira, justamente no momento em que as negociações começaram a avançar entre o governo e o movimento docente. Lembrando que essa greve é pelo descumprimento de acordo firmado na última greve”, disse. O acordo celebrado em 2016 tem como base a reestruturação da carreira docente.

Reunião

Na reunião de terça (10), o governo estadual fez uma contraproposta à reestruturação da carreira docente. Ao todo, a proposta feita pelos docentes teria um impacto de R$ 166 milhões por ano aos cofres públicos. Na ocasião, o governo apresentou uma proposta de R$82 milhões, a ser aplicados no plano de carreira de forma parcelada de acordo com a Lei Responsabilidade Fiscal (LRF). A deliberação sobre a proposta apresentada será tomada em assembleia docente, ainda sem data prevista.

Nesta quarta-feira (11), às 15h, será realizada uma nova reunião, desta vez, entre a reitoria e a Adunimontes SSind.

* Imagem: Adunimontes SSind.


Fonte: ANDES-SN


0
|
0
| Denunciar

0 comentários | 390 visualizações | 0 avaliações

Comentar esta notícia