Imprimir  Voltar  Home 


  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN


Data: 03/10/2018

ANDES e OAB realizam manifestação na Universidade Federal do Tocantins

A Universidade Federal do Tocantins (UFT) foi palco de uma manifestação de Desagravo Público em defesa dos direitos dos professores e das prerrogativas dos advogados. Realizada na manhã de sexta-feira (28), na reitoria da universidade, a manifestação foi organizada pelo ANDES-SN, pela a Seção Sindical dos Docentes da Universidade Federal do Tocantins (Sesduft) e pela Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil do estado.


O ato foi em favor do advogado da Sesduft, Éric José Migani. Ao representar uma docente da UFT, o advogado teve suas prerrogativas profissionais ofendidas. A audiência de sindicância acusatória, designada pelo reitor da UFT, pretendia instaurar procedimento administrativo disciplinar para apurar a conduta da servidora. Procedimento avaliado pelo Sindicato Nacional e Seção Sindical da UFT como um ato de assédio e perseguição à atividade da docente.

O 1º vice-presidente da Regional Planalto do Andes, Maurício Alves da Silva, afirma que casos de assédio e perseguição a docentes atuantes na luta sindical estão aumentando em todo o país. “Isso que está acontecendo aqui na UFT de perseguir professor é mais uma caso que já foi registrado na comissão e será acompanhado pelo Andes-SN”, disse, referindo-se à Comissão de Enfrentamento a criminalização e perseguição política a docentes constituída pelo Sindicato Nacional.

O presidente da Sesduft, Fábio Duarte, concorda. “Temos verificado na nossa instituição que o professor com uma participação política mais eficaz está sofrendo assédio constantemente. O caso da professora é um exemplo de tantos outros que têm acontecido”. O presidente reforçou que a Sesduft continuará na luta em defesa dos docentes, principalmente, em casos de assédio moral e de perseguições políticas.

O presidente da OAB-TO, Walter Ohofugi Júnior, lamentou que direitos constitucionais sejam desrespeitados dentro de uma universidade. "Não podemos admitir. A prerrogativa da advocacia tem como destinatário a cidadania. Não vamos nos curvar. Temos uma OAB preparada para enfrentar esses vilipêndios. Lamentável que isso ocorra aqui dentro da academia, o lugar que mais tem que incentivar o respeito às leis”.

O evento contou com a presença de docentes, técnicos administrativos e discentes da UFT, e dos diretores da OAB/TO: do secretário-geral, Célio Henrique Magalhães Rocha; da secretária-adjunta, Graziela Reis; do conselheiro federal Pedro Biazotto; do procurador-geral de Defesa de Prerrogativas e Valorização da Advocacia, Jander Araújo Rodrigues; das procuradoras de Defesa de Prerrogativas, Rita Vattimo Rocha e Ludimylla Melo Carvalho; entre outros advogados e advogadas.

Fotografias: Shara Rezende


Fonte: ANDES-SN


+1
|
0
| Denunciar

0 comentários | 71 visualizações | 1 avaliações

Comentar esta notícia